MBA em Big Data aplicado ao Marketing

O Marketing na era da Geografia das Coisas
28/06/2017

Organizar as informações e decupar o processo decisório (operacional, tático ou estratégico) em um contexto em que convivem informações estruturadas e não-estruturadas, internas ou externas à organização é o grande desafio das corporações. Técnicas analíticas combinadas são a instrumentação que o Data Scientist, profissional de Big Data Analytics, deve adquirir de forma premente nos dias de hoje.

Buscando entender e atender estas demandas da sociedade, a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) oferece o MBA em BIG Data Aplicado ao Marketing. Com grande honra recebi o convite para ministrar a palestra “O marketing na era da Geografia das Coisas”, saiba mais abaixo.

O programa apresenta uma visão contemporânea, tanto teórica como prática, que prepara o profissional do marketing no desenvolvimento de pilares fundamentais do Marketing Analytics como: o entendimento do ambiente de negócios, gestão de dados e modelagem informacional, Análise de Redes Sociais, Visual Information SystemsDigital AnalyticsData Mining e Text MiningCluster Analysis, Inteligência Geográfica, Consumer Insights, técnicas integradas de Decision Support Systems.

A Ciência do Onde (#TheScienceofWhere) no Dia do Geógrafo 2017

Tendências no Mercado de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) | Instituto GEOeduc
29/05/2017

Em comemoração ao Dia do Geógrafo (29/05), o Instituto GEOeduc realizou o evento online “Tendências no Mercado de Sistemas de Informação Geográfica (SIG)”.

Estive presente representando a Imagem, distribuidora oficial da Esri no Brasil, apresentando algumas reflexões sobre os Geógrafos e a Ciência do Onde – The Science of Where – e as novas possibilidades advindas da Tranformação Digital, a linguagem da Ciência do Onde. Assista, reveja e compartilhe.

esta versão apresenta todos os slides

A Geografia das Coisas: revolução do “onde” para a Internet das Coisas

IoT Day | FACENS – Faculdade de Engenharia de Sorocaba
08/04/2017

No dia 09 de abril é comemorado o IoT Day “um evento internacional, aberto à toda comunidade mundial engajada aos assuntos relacionados à Internet das Coisas”. Grande entusiasta do GISDay, ter participado do meu primeiro IoTDay foi uma oportunidade ímpar, já que eventos desta magnitude são importantíssimos para discussão com a Sociedade do nosso momento atual.

Realizado pela 2° vez consecutiva na FACENS – Faculdade de Engenharia de Sorocaba – contou com palestras de empresas renomadas, que apresentaram o estado da arte da IoT no mundo. Assista agora as palestras no Youtube e aproveite para saber mais sobre o tema!

Continuar lendo

[Minuto Live #2]Crie mapas interativos utilizando #MApps

“Crie mapas (históricos) interativos grátis! Geoprocessamento em sala de aula com aplicativos #MApps”
20/01/2017

Este trecho faz parte da Live #2 “Inteligência Geográfica e Educação”: assista o vídeo completo, com discussões em https://www.youtube.com/watch?v=GCHZ_…

Para não esquecer, assine o Canal (http://assine.mapps.rocks) e clique em definir lembrete. Como? Veja aqui: https://youtu.be/fLtovqxmCy0

Mas afinal, que série é esta? A série “um pouco de Geografia das Coisas”, apresentada por Abimael Cereda Junior, surgiu após reflexões pré e pós-palestras em Universidades, Institutos de Pesqusa, Escolas e empresas no Brasil, bem como desdobramentos dos artigos e outros materiais publicados no blog http://geografiadascoisas.com.br

Assista mais em: http://videos.mapps.rocks

 

[Live #2]Inteligência Geográfica na Educação e #IBM5in5

“Um pouco de Geografia das Coisas #2”
20/01/2017

Live discutindo a integração de Geografia e Tecnologias – a Inteligência Geográfica – no ensino, não de forma tecnicista, mas de maneira crítica e integrada.

Apresenta, de maneira rápida, o documento #IBM5in5

Também inclui temas gerais de 2017 na área de Geografia, Tecnologia e Educação.

Assista “um pouco de Geografia das Coisas #1

Mande suas dúvidas e sugestões de temas para: https://geografiadascoisas.com.br/int… e participe do mapa interativo em: http://arcg.is/2kbfSSS

[Live #1]Boas-vindas e o que é a era da Geografia das Coisas?

“Um pouco de Geografia das Coisas”
29/12/2016

 

No Rio, errar o caminho e entrar em favela pode ser fatal para motoristas

Cotidiano – UOL Notícias
17/12/2016

Processo de Adaptação

donotenter_gps

Na avaliação de Abimael Cereda Júnior, doutor em Engenharia Urbana pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), a evolução dos aplicativos de GPS representa uma “revolução” para os usuários em geral, que ainda estão em “processo de adaptação” em relação a riscos e benefícios.

Ele lembrou que, há pouco tempo, os motoristas dependiam de livros extensos com mapas impressos e ilustrados com ruas e avenidas. Afirmou ainda que a navegabilidade por GPS já gerou problemas em outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, um homem morreu depois de cair em um lago ao seguir rota traçada por um aplicativo.

“De 2000 para cá, praticamente toda a população ganhou acesso a esse tipo de recurso. Antes a gente tinha, no máximo, mapas em listas telefônicas ou naqueles guias de ruas que deixava no carro. O que está acontecendo, de uma maneira mais ampla, é uma mudança de cultura. Ou seja, como nós nos relacionamos com essa tecnologia. As pessoas ainda estão se adaptando. Elas acham que navegação por GPS é um guia espiritual e estão usando dessa forma”, afirmou.

Para ele, empresas como Waze e Google já estão investindo em coleta e integração de base de dados, com objetivo de melhorar a experiência do usuário. Mas há uma barreira neste processo, já que as iniciativas partiriam apenas dos próprios provedores de tecnologia ou dos usuários por meio de redes colaborativas.

“Tudo é integrável, mas não pode estar em um modelo definido apenas pelas empresas. Isso passa por gestão de políticas públicas. Na verdade, se a gente tem acesso a esses dados e eles estão integrados, essa base pode ser utilizada não só para navegação automotiva, mas também para direcionar políticas públicas e entender os motivos pelos quais essas regiões são tão perigosas.”

Leia a reportagem completa aqui

Conheça também mais sobre cidades inteligentes.