Storytelling + MApps = Comunicação eficaz – dicas para uma apresentação de alto impacto

porceredajunior

Storytelling + MApps = Comunicação eficaz – dicas para uma apresentação de alto impacto

Revistar Superinteressante - fevereiro 2017Autor.

A capa da revista Superinteressante de fevereiro de 2017 – assim como muitos periódicos e vídeos/’coaching’ milagrosos por aí – trata do tema “Como falar bem em público“. Não é meu interesse, neste artigo, discutir aspectos psicológicos, técnicas ou mesmo fórmulas mágicas, mas sim apresentar dicas: alguns pontos de reflexão para quem precisa apresentar uma ideia ou resultado que tenha o “Espaço Geográfico” como tema.

Sem arriscar porcentagens – ou artigos que citam porcentagens – o uso indiscriminado do Powerpoint, assim como já foi das transparências em um tempo não-tão-remoto-assim, na maioria das vezes é alvo de brincadeiras, rostos cansados e/ou falta de atenção em uma apresentação tendo como um dos principais problemas: nem ao menos foi criado um ROTEIRO da sua HISTÓRIA. É como culpar o Waze de um caminho que seguimos cegamente: não sabemos, minimamente, o contexto de como chegar.

Pesquisas contemporâneas discutem (não fugimos das estatísticas…) que o poder de concentração máximo das pessoas está entre 10 a 18 minutos; em um ambiente de stress este tempo pode cair pela metade. Ao estar em contato direto com nosso público, seja de maneira presencial ou remota por recursos das Tecnologias de Informação, já temos uma grande conquista: seu tempo e atenção por alguns minutos.

Por isto, a abordagem do storytelling – ou contação de histórias – pode ser uma estratégia para conectar os anseios do seu público-alvo (até mesmo aqueles que ainda são latentes) e o que temos de melhor para atender tais necessidades.

De acordo com a consultoria Endeavour Brasil storytelling é “a prática de se contar uma boa história”. Eu acredito que toda boa história começa com uma mapa. Assim, o storytelling é um meio de dialogar com o público usando a história da empresa, do produto, a necessidade e a expectativa do cliente (JARDIM, 2014).

A partir da sistematização do autor e por meio da apropriação dos conceitos deste (e de outras experiências pessoais acadêmicas e de mercado), gostaria de trazer alguns pontos que podem auxiliar os que lidam com o Espaço Geográfico em suas apresentações de ideias e resultados, avançando no conceito de Storytelling para StoryMaps. Para entendimento (e produção!) assista o vídeo abaixo.

Assim, se você tem como objeto de estudo, área de atuação ou como queira chamar sua práticas de reflexão e intervenção no Espaço Geográfico, o uso de mapas, gráficos e infográficos deveria ser não mero adereço pictórico, mas parte íntrinseca da história que você quer contar: seja o resultado do seu trabalho científico (Monografia, Dissertação, Tese, Artigo…) seja seu portfólio de atividades, o relatório final de entrega para um cliente ou mesmo sua chance de destaque em um painel de novas ideias.

Pontos para Reflexão (dicas)
  1. Crie um guia de viagem. Por mais óbvio que pareça, sua história deve ter um começo, meio e fim e, é comum, encontrar apresentações que só funcionam em seu terço inicial ou final, pois não possuem roteiro Desta forma, antes de pensar na forma, pense em três atos e como irá abordá-los: i. Problematização; ii. Como solucionar?; iii. A solução.
  2. Seja autêntico. Falamos sobre o que conhecemos. Tatear temas ou querer parecer erudito citando autores, números ou cases sem plena confiabilidade ou domínio dos fatos pode te deixar em uma situação embaraçosa pela simples pergunta “me fale um pouco mais sobre isto”. Se algum tema ou ponto foi inserido na apresentação por recomendação e não se sente confortável, busque mais sobre o assunto e tire todas suas dúvidas.
  3. A história é sobre você? Se você foi selecionado para uma apresentação/palestra, com certeza possui características e conteúdo que o habilitaram para tal. Consultar seu nome ou empresa/universidade em sites de procura está à disposição de todos. Por isto, principalmente no primeiro contato, fale menos sobre você, seu curriculum, realizações, etc. do que sobre a história. Se sua história for boa, você será encontrado, não se preocupe.
  4. Trabalhe com o concreto. Para uma apresentação de alto impacto, apresente dados, mapas, imagens e depoimentos de pessoas e empresas reais, permitindo que os conceitos e ideias apresentados sejam concretizados de maneira mais rápida. Mas cuidado: não utilize todos estes elementos de uma só vez.
  5. Quebre o ritmo. Inserir uma pequena referência cultural, um vídeo, um texto ou imagem que, aparentemente, estejam fora do contexto ajuda a quebrar o ritmo. Trabalhe a entonação da voz e o posicionamento físico. Evite piadas e cuidado com frases com conotações de gênero, políticas ou religiosas. Trabalhamos em um país multiculturalista e seus parâmetros talvez não sejam os que conduzem a vida de outrem.
  6. Leia o ambiente. Perceba os elementos ao seu redor. Consulte o site da empresa antes da visita, procure o curriculum lattes nos casos acadêmicos, observe os livros na prateleira, como é a estrutura do escritório? Perceba se ele mantém a atenção como no início e trace uma estratégia para que a reunião/palestra seja envolvente. Mantenha sempre em mente o público-alvo e faça as pessoas se identificarem claramente com os perfis e segmentos desse alvo.
  7. Deixe o silêncio falar. Devolva para os participantes o assunto e problemas, em forma de indagações ou pedindo suas opiniões. Aproveite estes momentos para fazer o seu silêncio mental e ouça.
  8. Sempre revise. Mesmo que já tenha feito a apresentação em outras situações e/ou públicos, revise a apresentação, mentalmente ou em voz alta, ao menos 2 horas antes, além dos principais pontos, principalmente os críticos, essenciais para que a mensagem seja transmitida.
  9. Utilize Storymaps. Desde a história da sua vida até os resultados de uma empresa, podemos comunicar tais fatos com mapas. Comunique, por meio de mapas interativos, ideias, planejamento, execução e resultados de trabalhos de campo, apresentações e interação multimídia e construção de relatórios, para qualquer tema que envolva a Geografia. Compreenda e aplique a Inteligência Geográfica (Geografia + Tecnologia) hoje, com mapas como suporte a propagação de ideias e ideologias; construa mapas que contam histórias. Sugestão webinar: “Do Mundo das Ideias às Ideias no Mundo”.

Forma sem função é como um cadáver sem alma, pois um cadáver tem a mesma forma exterior, porém em troca já não é um homem (Aristóteles).

Sugestão de roteiro básico

Os temas/dimensões abaixo são sugeridos para uma apresentação de impacto envolvendo dimensões geográficas/territoriais; contudo, não se pretende criar um “guia” com frases: você deve se sentir confortável com a apresentação e seus recursos.

  1. Trazer o contexto histórico (político, econômico, social) em que a Sociedade se encontra.
  2. Como os cidadãos e as empresas estão inseridas neste contexto?
  3. A revolução da sociedade técnica-científica-informacional.
  4. Como tecnologias podem auxiliar a solucionar tais problemas?
  5. A sua Solução para tais problemas
  6. Sobre você/sua empresa/sua Universidade

Sobre o Autor

ceredajunior administrator